Epifania e Bolo Rei

Na época natalícia, não há mesas sem o famoso bolo rei, que se come tradicionalmente entre o Natal e o do Dia de Reis. E porque hoje é o Dia de reis, aproveito para vos contar um bocado da origem e história desse bolo.

O nome “Bolo Rei” alude aos três reis magos e representa os presentes que os três Reis Magos. O bolo tem uma forma redonda, com um grande buraco no centro e é feito de uma massa branca e fofa misturada com passas, frutos secas e frutas cristalizadas. Tradicionalmente, no interior do bolo encontravam-se também uma fava seca e um pequeno brinde, normalmente feito de metal. A fava dava a quem a recebesse numa fatia o direito de pagar o próximo bolo rei, e o brinde dava sorte a quem o encontrasse.

Por detrás do bolo-rei está toda uma simbologia com 2000 anos de existência. Reza a lenda que este doce representa os presentes oferecidos pelos Reis Magos ao Menino Jesus aquando do seu nascimento. Assim, a côdea simboliza o ouro; as frutas secas e cristalizadas representam a mirra; e o aroma do bolo assinalava o incenso.

Ainda na base do imaginário, a existência duma fava também tem a sua explicação: Quando os Reis Magos viram a Estrela de Belém que anunciava o nascimento de Cristo, disputaram entre si qual dos três teria a honra de ser o primeiro a brindar o Menino Jesus.

Para acabar com aquela discussão, um padeiro confeccionou um bolo escondendo no interior da massa uma fava, para que aquele que a apanhasse fosse o primeiro a entregar o presente. O Rei Mago que tivesse a sorte de retirar a fatia contendo a fava seria o que ganharia o direito de entregar em primeiro lugar os presentes a Jesus. O dilema ficou solucionado, embora não se saiba se foi, Gaspar, Baltazar, ou Belchior o feliz contemplado.

Históricamente falando, a versão é bem diferente. Aproveitando um inocente jogo de crianças, os Romanos inseriram a sua prática nos banquetes durantes os quais se procedia à eleição do rei da festa, que consistia em escolher entre si um rei tirando-o à sorte com favas, por isso designado por vezes também rei da fava. A Igreja Católica decidiu relacioná-lo com a Natividade e, depois, também com a Epifania, ou seja, com os dias entre 25 de Dezembro e 6 de Janeiro. A influência da Igreja na Idade Média determinou que esta última data fosse designada por Dia de Reis e simbolizada por uma fava introduzida num bolo, cuja receita se desconhece.

Havia ainda outra tradição, da qual poucos terão conhecimento. Esta afirmava que os cristãos deveriam comer 12 Bolos Reis, entre o Natal e o Dia de Reis, festa que muito cedo começou a ser celebrada na côrte dos reis de França. O Bolo Rei terá, aliás, surgido neste país no tempo de Luís XIV para as festas do Ano Novo e Dia de Reis. Com a Revolução Francesa em 1789 este bolo foi proibido, “como mais tarde iria acontecer em Portugal”, só que os pasteleiros que tinham um excelente negócio em mãos em vez de o eliminarem decidiram continuar a confeccioná-lo chamando-lhe “Gâteau des Sans-cullotes”.

Agora é a sua vez de comer o bolo-rei ! Bom apetite !

Bolo Rei2

Epiphany and “Bolo Rei” (King’s Cake)

During the Christmas season, the “bolo-rei” is on all the tables. This Portuguese cake is traditionally eaten between Christmas Eve and Epiphany. And since today it is the Epiphany, I take the opportunity to tell you more about this cake.

The name “Bolo Rei” (King’s Cake) refers to the Three Wise Men. The round-shaped cake with a hole in the middle, is made with a soft baked dough and is decorated with dried and candied fruits. There is usually a little present inside the cake and a broad bean – who finds the broad bean in one slice, must pay the next “King Cake”.

Behind the cake, there is a whole symbolism with 2000 years of existence. The legend says that the cake refers to the gifts brought by the Three Wise Men to the Baby Jesus when he was born. Thus, the crust symbolizes the gold; the dried and candied fruits represent the myrrh; and the flavor represents the incense.

Also based on this legend, the existence of a bean inside the cake has an explanation: when the Wise Men saw the Star of Bethlehem which announced the birth of the Christ, they argued about who will have the honor to offer the present first. To end the argument, a baker made a cake and hid inside the dough a bean. The Wise Men who would find the bean will be the one to offer his gift to the Baby Jesus first. The cake was the solution to their fight, though the legend does not say whom of the Wise Men, Caspar, Balthasar, Melchior found the bean.

From a historical point of view, it is quite different. The “bolo rei” would come from a kid game during Roman times, that they decided to use during the feast when electing the King of the feast which consisted in choosing the one who found the bean in the cake. The Catholic Church decided to associate this feast the Nativity of Jesus and with the Epiphany.

Another little-known tradition says that the Christians had to eat 12 cakes “bolo-reis”, between Christmas and Epiphany, a feast that was already celebrated in the King’s Court in France. The “bolo-rei” appeared at the time of Louis XIV to celebrate New Year and Epiphany. With the French Revolution in 1789, the cake was forbidden “like it happened later in Portugal” but the bakeries did not want to lose their business and kept on making them and renamed it “Gâteau des Sans-cullotes”.

Now it’s your time to eat the “bolo-rei”! Bon appetit!

Bolo Rei

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s