O Azulejo, emblemo de Portugal

Seja em qualquer cidade de Portugal, é impossivel não ver os azulejos, esses mosaicos de cor azul que decoram algums edifícios, as fachadas de casas, monumentos, palácios, igrejas, fontes e jardims públicos.

E muito comum pensar que o azulejo é um derivado da cor azul mas não é. A palavra azulejo vem do árabe « azzelij », que significa « pequena pedra polida » usada para desenhar mosaico bizantino do Próximo oriente. Apesar de fazer parte integrante da história e da identitade do nosso pais, as técnicas de corte e fabricação de azulejos são de origem oriental e existam desde o século IX. Os azulejos foram importados pelos Mouros no século 14 particularmente na Andaluzia em Sevilha, para decorar as mesquitas, harems e palácios e apareceram em Portugal em Lisboa no século 15.

Azules e brancos no início, os azulejos tornam-se policromos desde o século 16 e são cada vez mais procurado para decorar as quintas. A produção de azulejos atingiu o seu nível máximo em Portugal no século 18 no reinado de D. João V (1706-1750). Neste tempo, grandes panéis monumentais ornam os edifícios. As Guerras Napoleônicas marcam o declínio do azulejo.

Depois do terramoto de 1755, o artesanato de azulejo torna-se uma industria: é preciso reconstruir. Os azulejos sempre pintados à mão são fabricados em série, e surgem nas casas burguesas, os salões, as cozinhas, as fachadas de comércios e os imóveis…

Não somente decorativos, os azulejos eram também usados como iluminação numa época em que a luz provinham apenas das lanternas a óleo e das velas. O vidrado dos azulejos refletava a luz duma maneira original, capaz de iluminar uma sala inteira com uma única vela. Mais tarde, os azulejos são usadas como solução higiénica e térmica nos edifícios.

A maior coleção de azulejos se encontra no Museu Nacional do Azulejo em Lisboa. A obra mais notável é, sem dúvida, os painéis de azulejos na estação de São Bento no Porto, dupa superfície de cerca de 551 metros quadrados.

 

The Azulejo, emblem of Portugal

In any city of Portugal, it is impossible not to see the azulejos, these blue Portuguese tiles which ornate the buildings, the houses façades, the monuments, palaces, churches, fountains and public parks.

It’s very common to think that the azulejo is a derivative of the word “azul” (meaning blue in Portuguese) but it is not. The word “azulejo” comes from the Arab “azzelij”, meaning “small polished stone”, used to name the Byzantine mosaics from the Middle East. Although the Azulejo is an integral part of the history and the identity of our country, the cut techniques and production of azulejos are from Oriental origins and exist since the 9th century. They were imported by the Moors in the 14th century particularly in Andalucia in Seville, to decorate the mosques, harems and palaces, and appeared in Lisbon in the 15th century.

Blue and white at the beginning, the azulejos became polychrome since the 16th century and are more and more sought to decorate the “quintas”. The production of azulejos reached its peak in Portugal in the 18th century under D. João V (1706-1750). At this time, large panels ornate the buildings. The Napoleonic wars saw the decline of the azulejos.

After the 1755-earthquake, the artisanal handicraft became an industry: it’s time rebuild. The azulejos are still handcrafted but they are produced on a large scale, and appeared in burghers’ houses, living rooms, kitchens, businesses’ façades, buildings…

They are not only decorative but also used in the illumination at a time when light barely comes from oil lamps and candles. The glaze of the azulejos reflected the light on a unique manner, which enabled to enlighten an entire room with a single candle. Later on, the azulejos were even used as a hygienic and thermal solution inside the buildings.

The largest collection of azulejos can be found in the National Tile Museum in Lisbon. The most remarkable artwork is certainly the azulejos panels inside the Sao Bento train station in Porto, which covers an area of nearly 551 square meter.

Estaçao_Porto_Azulejos (1)

Azulejos na estação de São Bento no Porto / Azulejos panels inside the Sao Bento train station in Porto

Estaçao_Porto_Azulejos (2)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s