A Sé Catedral de Viseu, o Cloistro e o Museu

Do exterior da cidade de Viseu, as torres da Sé Catedral é um ponto de referência para visitantes da cidade de Viseu.

A actual Sé Catedral de Viseu foi construída junto a um primitivo templo suevo-visigótico que dataria do século X, época em que a povoação foi capital de um extenso território limitado entre os rios Douro e Mondego. Foi durante o reinado de Dom Afonso Henriques no século XII, impulsionada pelo bispo D. Odório, que a imponente catedral, símbolo da história viseense, começou a tomar forma. Inicia-se então a construção de uma catedral no estilo românico, da qual não fica muitos elementos dela hoje, apenas um capitel dos finais do século XII e um portal lateral (a Sul) do século XIII, que dá acesso ao claustro.

Quando chegamos ao Adro da Sé, podemos ver as majestosa fachada delimatada pelas duas torres sineiras robustas que lhe da um aspecto de igreja-fortaleza. Uma torre é de construção medieval e a outra foi reconstruída no século XVII, após ter sido derrubada por um violento temporal.

Ao longo dos séculos, a Sé de Viseu viu o seu estilo profundamente alterado primeiro com o estilo gótico. Mais tarde o período manuelino dotou a Catedral de obras de grande qualidade estética tal como as típicas abóbadas das naves. Séculos depois, o estilo barroco trouxe a Sé viseense ricas obras de talha, azulejo e pintura. O órgão, retábulo-mor, os painéis em azulejo do claustro e a casa do cabido são exemplos perfeitos, que revelam como a Sé se conseguiu manter actualizada durante as correntes estéticas dominantes do século XVIII.

Junto a Catedral no lado direito, encontramos outra porta que nos leva até o Claustro de dois andares que foi construído na Idade Média e alterado nos séculos XVI e XVII. O Claustro abriga desde 1932 o Tesouro-Museu da Catedral de Viseu que apresenta objetos destinados ao culto litúrgico na Sé. No primeiro andar, a porta lateral que leva à Catedral é suntoasa, de estilo romano-gótico (da primeira igreja) do século XIV, sobre a qual vemos a imagem em baixo-relevo da Virgem Maria e o Menino Jesus. Destaca-se também os notavéis azulejos.

As peças expostas no Tesouro-Museu e os espaços revelam oito séculos de história, do século XII ao século XX, e nesse tesouro está uma custódia gótica de 1533, que pertenceu ao bispo D. Miguel da Silva e que é uma das peças mais valiosas da arte sacra portuguesa, que se presume ter sido feita pelo dramaturgo Gil Vicente.

No segundo andar, temos uma vista magnífica sobre o adro e a Igreja da Misericórdia, sobre a Praça Dom Duarte e toda a outra parte da cidade.

 

The Viseu Cathedral, the Cloister and the Museum

Seen from far from the city of Viseu, the towers of the cathedral are a reference point for those visiting the city of Viseu.

The current Viseu Cathedral was built next to an ancient Swabian-Visigoth temple possibly dating back to the 10th century during which the city was the capital to a large territory between the Douro and Mondego rivers. It was during the reign of King Afonso Henriques in the 12th century, under the initiative of bishop D. Odorio, that this splendid cathedral, a symbol of Viseu’s History, began to take shape. So the construction of a Romanesque style cathedral begins, from which there is not many elements left today, barely a capital of the end of the 12th century and a lateral door (in the south) of the 13th century which gives access to the cloister.

When arriving in the Adro da Sé Square, we can see the majestic façade delimited by two robust bell towers which gives it the aspect of a Church-Fortress. One was built during the mediaeval times and the other during the 17th century, after it was brought down by a violent storm.

Throughout the centuries, the Viseu Cathedral saw its style deeply changed, first with the Gothic style. Later, the Manueline style provided the Cathedral with high esthetic quality artworks such as the typical vaults of the church naves. Centuries later, the baroque style brought to the Cathedral rich carving artworks, blue tiles and painting. The organ, the altarpiece, the blue tiles panels inside the cloister and the casa do cabido are perfect examples, which unveils the way the Cathedral managed to follow the main artistic movements of the 18th century.

Near the Cathedral on the right side, we can find another door which leads us to the two-floor Cloister built in the Middle Ages and altered in the 16th and 17th centuries. The Cloister shelters the Treasure-Museum of the Viseu Cathedral since 1932, which displays items related to the liturgical worship in the Sé. On the first floor, the side door which leads to the Cathedral itself is sumptuous, of Romanesque-Gothic style (from the first church) of the 14th century, upon which we can see the image in low relief of the Virgin Mary and the Baby Jesus. Another highlight is the notable blue tiles panels.

The items exhibited in the Treasure-Museum and the spaces reveal 8 centuries of history, from the 12th century to the 20th century, and this treasure includes a Gothic safekeeping of 1533 which belonged to Bishop D. Miguel da Silva and which is one of the most valuable Portuguese piece of sacred art, which would have been made by playwright Gil Vicente.

From the second floor, we can enjoy a unique view over the Adro da Sé Square and the Misericordy Church, over the Dom Duarte Square and the other part of the city.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s