A Cidadela fortificada de Obidos

Localizada a 85 km ao norte de Lisboa, pertencente ao município de Leiria, a cidadela de Óbidos é uma joia medieval, rodeada por muralhas e composta por típicas casinhas brancas com detalhes em azul e em amarelo, enfeitadas com flores. Sem grandes surpresas, o seu nome vem da palavra ópido, que significa cidade fortificada.

A vila é fortemente ligada à nobreza desde o século XIII, quando o Rei D. Dinis se casou com Isabel de Aragão em 1281 e lhe ofereceu a vila como presente de casamento. A partir daí e até 1834, a vila de Óbidos passou a ser oferecida como dote.

Uma parada pela esta vila medieval é inevitável. Basta andar um pouco pelas suas ruelas pavimentadas, caminhar pelas suas muralhas (embora algumas partes são muito estreitas, melhor é ter bons sapatos e coragem !) e experimentar a Ginjinha, licor de ginja típico da região, para comprender porque esta cidade é maravilhosa.

Ao chegar à Vila, vê-se logo o aqueduto da época romana, que tem uma extensão de 3 km. E là que deixamos o carro numa área de estacionamento pago prevista para os visitantes.

Começo a minha caminada à « Porta da Vila », a entrada principal da Vila, com seus detalhes em azulejo português e com uma inscrição encima, « A Virgem Nossa Senhora foi concebida sem pecado original ». Foi mandada colocar pelo Rei D. João IV, em agradecimento pela protecção recebida da Padroeira aquando da Restauração da Independência em 1640. No seu interior, encontra-se a capela-oratório de Nossa Senhora da Piedade, Padroeira da Vila, com varandim barroco e azulejos azuis e brancos (c.1740-1750) com motivos alegóricos à Paixão de Cristo, representando a Agonia de Jesus no Horto e a Prisão de Jesus.

A Porta da Vila leva directamente à rua Direita, a mais importante da cidade, para um passeio na Vila que abriga tudo o que um turista precisa : bons restaurantes, monte de cafés, lojinhas de artesanato, galerias de arte, garrafeiras, igrejas… Embora a passagem nesta rua é obrigatória, aconselho afastar da Rua Direita e perder-se nas ruelas adjacentes longe do fluxo de turistas.

A principal atração turística de Óbidos consiste, sem dúvidas, no Castelo, muito bem conservado e que data do século XVIII. O aceso ao muralha é libre e oferece vistas maravilhosas sobre a Vila e os arredores.

No final da rua Direita, não percam a Igreja de Santa Maria (Igreja Matriz) para admirar os bonitos azulejos, os retábulos de madeira e as pinturas de Josefa de Óbidos, de influência  barroca.

 

Obidos, the fortified citadel

Located 85 km north of Lisbon, and belonging to the Municipality of Leiria, the citadel of Óbidos is a medieval jewel, surrounded by walls and composed of typical white houses with blue and yellow borders, garnished with flowers. With no great surprise, its name comes from the word « ópido », meaning fortified city.

The town is strongly linked to the nobility since the 13th century, when King D.Dinis got married Elizabeth of Aragon in 1281 and offered her the town as a wedding gift. Since then and until 1834, Óbidos was always given as dowry.

A stop by this medieval town is inevitable. You will only need to wander in its paved streets, walk along its walls (although some parts of the walls are very narrow, it is better to have good running shoes and a little bit of courage !) and taste the Ginjinha, the traditional cherry liqueur of the region, to understand why this city is wonderful.

When arriving in the town, we see right away the aqueduct of the Roman times, that has an extension of 3 km. That’s where I parked the car along the aqueduct in a paid-parking area for visitors.

I start my little tour at the « Porta da Vila », the main town’s entrance with its blue tiles panels and an inscription on the top, « A Virgem Nossa Senhora foi concebida sem pecado original » meaning « To the Holly Lady, conceived without sin ». The inscription was placed there under the orders of King John IV to thank the patron saint for her protection during the Independence Restoration in 1640. Inside, there is the oratory chapel dedicated to Nossa Senhora da Piedade (Our Lady of Sorrows), the local patron saint, with baroque-style balcony and blue and white tile (dating around 1740 and 1750) with allegories of the Passion of Christ, reliving Jesus’ agony in the garden and the Arrest of Jesus.

The Porta da Vila leads directly to the Rua Direita, the most important street, for a walk in the town that shelters everything a tourist needs : good restaurants, lots of bars, craft shops, art galleries, wine stores, churches… Although the passage in this street is required, I recommend to step away from it the Rua Direita and wander in the adjacent streets far from the flow of tourists.

The main tourist attraction of Óbidos is undoubtedly the very well preserved Castle, dating from the 18th century. The access to the walls is open to the public and offers wonderful views of the town and its surroundings.

At the end of Rua Direita, do not miss the Church of Santa Maria (Parish Church) to admire the beautiful blue tiles panels, the wooden altarpieces and the outstanding paintings of Josefa de Óbidos, of baroque influence.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s