O Bairro da Madalena, entrada da cidade

Para quem entra em Chaves pela estrada do sul, a cidade começa pelo Bairro da Madalena, que situa se na margem esquerda do rio Tâmega e está ligado ao centro histórico através da Ponte Romana.

O Bairro deve o seu nome a uma capela em honra de Santa Maria Madalena, hoje perdida, cuja construção no século XII, se terá devido a devoção da Rainha Dona Mafalda, mulher de Dom Afonso Henriques, que mandou também construir um albergue destinado aos peregrinos que ali passavam para Santiago de Compostela (que se localizava na Rua Canto do Rio). A partir daí, passou a ser conhecido pelo bairro de Santa Maria Madalena e tornou a ser chamado simplesmente Madalena, por comodidade.

O arrabalde da Madalena foi mais tarde, pelos meados do século XVII (1657-1662) e no contexto das chamadas Guerras de Restauração, um revelim de defesa, com a sua fortificação, com porta de armas e ponte levadiça, rodeado por um fosso: o Forte da Madalena.

O Bairro da Madalena tem o mesmo tipo de encanto que o centro histórico da cidade : a igreja da Madalena do século XVIII, capelas e um dédalo de ruelas e casas vetustas, com gente a morar no primeiro andar e no segundo, se existe, e os comércios que ocupam o rés-do-chao.

A Madalena é um dos pontos nevrálgicos de Chaves com a sua zona comercial : florista, talho, tavernas, farmácia, mercearia, lojas, Ponto de Táxi… com muita gente et animação de dia, muito mais calmo de noite e nos fims de semana.

É também aqui que se encontra o Jardim Público, oferecido à cidade pelo ilustre trasmontano Cândido Pinto Sotto Mayor, um jardim muito amado pelos flavienses, as frondosas árvores, a miniatural casinha portuguesa, o rendilhado coreto, os aristocráticos portões de acesso, os explêndidos e floridos canteiros que se estendem até à face do rio.

Existem muitas capelas ainda na Madalena : no Campo da Fonte frente aos Bombeiros, há uma bela capelinha barroca, propriedade particular, chamada a Capela do Senhor do Bom Caminho. A Capela São Bento e seu cruzeiro estão à beira da estrada nacional 103 a direção a Espanha e na margem esquerda do rio, vê-se a Capela de São Roque, junto a Junta da Freguesia.

Finalemente, o meu lugar favorito na Madalena é a Igreja de São João de Deus, mais conhecida como Igreja da Madalena, um imponente templo barroco do século XVII, que domina de perto a margem do Tâmega, com sua interessante volumetria (da qual sobressai, como remate da nave, um elegante zimbório ou lanternim de traça octogonal). Na respectiva frontaria, algo obliterada pela estreiteza da rua onde se inscreve, sobressai o opulento frontão de remate da empena, armoriado no tímpano e flanqueado por possantes e agigantados pináculos.

 

The Madalena Quarter, city entrance

When entering the City of Chaves through the southern road, the City starts with the Madalena Quarter, which is located on the left bank of the Tamega river and is connected to the historic centre through the Roman Bridge. 

The Quarter owes its name to a chapel (that does not exist anymore (in honor of Santa Maria Madalena, and which construction dates back to the 12th century, and which devotion would have been due to the Queen Dona Mafalda, Dom Afonso Henriques’ wife, who also ordered the construction of a lodge aimed for the pilgrims that passed here to go to Santiago of Compostela (which were located in the Street Canto do Rio). From here, it has become known as the Santa Maria Madalena Quarter and it began to be called merely Madalena, for convenience.

The Square of Madalena was later in the mid-seventeenth century (1657-1662) and in the context of the so-called Wars of Restoration, a ravelin of defense, with its fortification, with a gate castle and a drawbridge, surrounded by a moat: the Fortress of Madalena.

The Madalena Quarter has the same kind of seduction: a 18th-century church, a labyrinth of narrow streets of old houses, with people inhabiting the first floor and the second, if any, and shops in the ground floor.

The Madalena Quarter is one of the hotspots in the city of Chaves with its commercial area: flowershop, butchers, taverns, pharmacy, grocery stores, convenient stores, taxi stop… with a bunch of people and animation during the day, and much calmer at night and on the weekends.

It is also here that we can find the Public Park, offered to the City by the famous trasmontano Cândido Pinto Sotto Mayor, very appreciated by the locals, the shady trees, the miniature Portuguese house, the bandstand, the aristocratic entrance gates, the splendid and blooming flowerbeds which extend to the Tâmega river.

There are still many chapels in the Madalena Quarter: in the Campo da Fonte in front of the Fire Department, there is beautiful baroque-style chapel, which is private property, called the Chapel of Senhor do Bom Caminho. The Chapel São Bento and its cross located on the roadside of national 103 going to Spain, and on the left bank of the Tâmega river, we can find the Chapel of São Roque, near the Junta da Freguesia (municipal council).

Finally, my favorite place in the Madalena Quarter is the Church of São João de Deus, known as the Church of Madalena, an imposing baroque-style temple from the 18th century, which dominated from very near the Tâmega river, with its interesting volumetry (from which stands out, as the nave finnish, an elegant lantern tower of octagonal shape). In the respective frontage, stands out the opulent pediment (somewhat hidden by the narrowness of the street where it is located. The façade is armored in the tympanum and flanked by giant pinnacles.

Fonte / Source : Chaves de Tras os Montes… / Anégia Editores

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s